Abate de bovinos diminui no Estado

18/12/2010 07:39

Retração estadual contribuiu para o resultado negativo também na região Centro-Oeste do país

Estiagem reduziu oferta de bois; setor lança cartilha com orientação trabalhista

Mato Grosso registra queda de 5,6% no abate de bovinos no terceiro trimestre deste ano na comparação com igual período do ano anterior. Em quantidade, houve redução de 62,402 mil cabeças, considerando que em 2009 o volume chegou a 1,108 milhão, enquanto neste ano passou para 1,046 milhão de animais abatidos. O peso das carcaças também apresentou redução, diminuindo de 275,585 mil toneladas para 267,069 mil toneladas, representando uma queda de 3,1%.

Apesar dos indicadores negativos, que incentivaram a diminuição de 2,3% no abate de bovinos na região Centro-Oeste (de 2,611 milhões para 2,551 milhões de animais), Mato Grosso ainda mantém a liderança nacional, com abate de 14,1% de toda a produção brasileira. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (17) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com o superintendente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Luciano Vacari, a queda foi motivada pela estiagem e queimadas no pasto, junto à escassez da oferta de animais destinados para abate. Conforme ele, a expectativa é que o cenário da bovinocultura fique equilibrado no próximo ano. Em todo o país, foram abatidas 7,394 milhões de cabeças no 3º trimestre deste ano.

O levantamento ainda mostra o aumento no abate de suínos no Estado, que subiu de 393,586 mil para 507,931 mil animais neste ano, uma diferença de 29,1%. O peso das carcaças também apresentou alta (42%), de 31,651 mil toneladas para 44,958 mil toneladas. O vice-presidente da Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat), Luiz Ortolan Salles, atribui a chegada de novas unidades frigoríficas no Estado. Além disso, ele revela que Mato Grosso tem abatido suínos produzidos em Mato Grosso do Sul. "Isso mostra que estamos com uma capacidade de abate ociosa".

Cenário semelhante foi observado no abate de frangos, que aumentou 24,3%, de 40,368 milhões para 50,182 milhões de aves este ano. O peso da carcaça também teve incremento de 22,5%, passando de 91,331 mil toneladas para 111,890 mil toneladas.

Cartilha - Criadores de bovinos terão auxílio trabalhista por meio de uma cartilha criada pela Acrimat em parceria com a Superintendência Regional do Trabalho em Mato Grosso (SRTE/MT), vinculada ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). O objetivo é mostrar ao pecuarista a Legislação Trabalhista aplicada ao campo e assim fazer a gestão social de sua propriedade com segurança jurídica, é o que explica o presidente da Acrimat, José João Bernardes. "A intenção é mostrar de forma prática e simples quais são as normas que o produtor deve seguir".

Segundo o superintendente do SRTE/MT, Valdiney de Arruda, a cartilha deverá colocar em plano aceitável em relação do trabalho no campo. É estimado que 120 mil trabalhadores atuem em 110 mil propriedades. "Os produtores que ainda têm dúvidas ou desconhecem as noções de como se deve manter o alojamento dos trabalhadores, o registro da carteira de trabalho e até as condições da jornada de trabalho". A cartilha ficará disponível no site da Acrimat.

Fonte:Gazeta Digital

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!