Adolescentes podem perder os testículos se ignorarem dores no saco e náuseas

11/01/2011 07:50

Willian Silva de Lima, 21, acordou de madrugada com o pênis duro e com dores entre a perna direita e o saco.

Ereção durante o sono é comum. O sofrimento, não. Preocupado, o rapaz partiu para o Hospital das Clínicas.

No pronto-socorro, ele descobriu que o cordão que ligava seu testículo ao abdome tinha se torcido, devido a uma ereção. Em poucas horas, ele poderia ter de amputar a testículo direito.

Willian foi operado ainda durante aquela manhã. Ele conversou com o Folhateen no dia seguinte, antes de receber alta, e comemorava a salvação do testículo torcido.

"Eu não sabia que isso podia acontecer, fiquei muito ansioso", afirma Willian.

A desinformação é inimiga dos testículos, nesses casos.

"Às vezes, o jovem acorda os pais, sentindo dor, mas os adultos dão uma gota de analgésico para ele e pedem que durma", afirma José Cury, chefe do ambulatório de sexualidade do Hospital das Clínicas -cujo pronto-socorro recebe três adolescentes com torção, precisando de cirurgia, por semana.

O problema, que atinge 1 a cada 4.000 homens abaixo de 25 anos, é mais frequente entre adolescentes. Muitas vezes, a torção acompanha um sonho erótico.

"Já vi pacientes chegarem ao hospital após dois ou três dias da torção. Nesses casos, não há muito o que fazer além de retirar o testículo."

A bola ausente é substituída por uma prótese de silicone. Se ambos os testículos forem perdidos, o homem fica estéril e tem de tomar hormônios por toda a vida.

Cássio Andreoni, urologista do Hospital Israelita Albert Einstein, reforça a recomendação de que todo jovem procure ajuda caso sinta dor no saco. "É melhor abrir o escroto e descobrir que não é uma torção do que o garoto perder um testículo", afirma.

Fonte:Folha.com


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!