Denúncia de irregularidades no Bolsa Família gera apreensão judicial de computadores da Prefeitura de Campinápolis, no Departamento do CRAS

28/02/2011 19:46

 

A Polícia Judiciária Civil, na pessoa do Delegado Rodrigo Bastos, apreendeu nesta sexta-feira (25.02) computadores no Departamento do CRAS - Centro de Referência de Assistência Social de Campinápolis. 
 
A determinação foi dada pelo Poder Judiciário, que expediu mandado de busca. O objetivo é periciar os computadores.
 
 A motivação para a medida surgiu depois que uma contratada para trabalhar no CRAS de Campinápolis, Leopoldina, percebeu, segundo a mesma informou, irregularidades na concessão do Bolsa Família e, de sua vez, as denunciou ao Ministério Público.     
 
Após a apreensão dos  computadores, há informações que a contratada Leopoldina teve que sair da cidade de Campinápolis sob escolta, pois passou a receber  ameaças de morte, dirigindo-se para Cuiabá. Também teve o seu contrato de trabalho rescindindo com a Prefeitura de Campinápolis.
 
O Programa Bolsa Família, mantido por verba federal, foi criado para apoiar as famílias mais pobres e garantir a elas o direito à alimentação e o acesso à educação e à saúde. O programa visa a inclusão social dessa faixa da população brasileira, por meio da transferência de renda e da garantia de acesso a serviços essenciais. No Brasil, mais de 11 milhões de famílias são atendidas pelo Bolsa Família. 
 
No entanto, é corrente as denúncias de desvio de dinheiro do Bolsa Família em todo o país, bem como sua destinação para pessoas ilegalmente favorecidas haja vista não se enquadrarem no escalonamento de pobreza que o programa pretende atingir. 
 
Fonte:Da Folha de Paranatinga 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!