Empresa americana apresenta projeto a deputado Zeca Viana

22/02/2011 06:36

A cultura do pinhão manso pode ser uma alternativa viável e em potencial para a oferta do bicombustível no Brasil. É o que defende a companhia norte-americana SG Biofuels, empresa de biotecnologia que trabalha a sustentabilidade, a produtividade e a rentabilidade do pinhão manso (Jatropha curcas).

Na última semana, o deputado estadual Zeca Viana (PDT) participou de uma apresentação da SG Biofuels, que pretende firmar uma parceria com o Governo do Estado e implantar a cultura entre os produtores rurais de Mato Grosso. A empresa já desenvolve projeto na Guatemala.

Zeca Viana avaliou a experiência como positiva e como uma alternativa de renda ao pequeno produtor rural.  De acordo com o deputado, a cultura do pinhão manso já foi frustrada em Mato Grosso e é preciso que a empresa SG entre em sintonia com as fundações de pesquisas do estado.

“Devemos juntar as experiências de Mato Grosso e da empresa e, com certeza, no curto prazo teremos a melhor alternativa de pinhão manso do planeta. Nossas pesquisas são muito eficientes”, disse Zeca Viana, acrescentando que o município de Primavera do Leste já trabalha na implantação da cultura.

O diretor de negócios da SG, Santiago Giraldo, disse que a ideia da apresentação foi justamente fazer o primeiro contato com Mato Grosso e apresentar a tecnologia de produção do pinhão manso. “Queremos avaliar juntamente com o estado e propagar a cultura como alternativa para o biodiesel”. Além de Santiago, representou a empresa o diretor de genética da SG, Robert Smith.

Da reunião, que aconteceu na Assembleia Legislativa, ainda participaram os deputados José Riva (PP) e Ondanir Bortolini (PR); o presidente da Empaer, Enock Alves; o secretário-adjunto da Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Turismo, Élio Rasia; e empresários do ramo do biocombustível.

Hoje, a principal base do biocombustível em Mato Grosso é a soja. E, de acordo com os empresários do setor, sem o subsídio do governo, a produção se torna inviável, uma vez que o preço da soja varia conforme as alterações do mercado. Assim, defende a SG, o cultivo do pinhão manso seria uma solução energética mais viável.

PINHÃO MANSO - A Jatropha curcas, conhecido no Brasil como pinhão manso, é um arbusto não comestível nativo da América Central. As sementes são moídas e o óleo extraído pode ser processado para produzir biodiesel de alta qualidade  para motores movido a diesel padrão.

Fonte:24HorasNews


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!