Henry volta do NE convicto de mudança

04/04/2011 12:53

Secretário foi verificar in loco, no PE, funcionamento das unidades gerenciadas por Organização Sociais de Saúde e aposta na melhora em MT
 

MARCOS LOPES/DC
Gestor levou parlamentares e representante de VG para visita

Depois de ter visitado na quinta-feira dois hospitais em Pernambuco e uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), gerenciados por Organizações Sociais de Saúde (OSS), o secretário de Estado de Saúde, Pedro Henry, voltou a Mato Grosso convicto de que o modelo proposto para o gerenciamento da Saúde no Estado, por meio de OSS, é o melhor caminho.

“É um modelo que permite uma alta resolutividade, dá mais resultados e que possui eficientes mecanismos de controle e redunda num nível de satisfação muito grande do usuário”, declarou Henry, que visitou as unidades (em Recife e na região metropolitana) e também a Secretaria Estadual de Saúde acompanhado da deputada estadual Luciane Bezerra (PSB), que integra a comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, de técnicos da SES e de representantes da prefeitura e do Legislativo de Várzea Grande.

É em Várzea Grande onde está localizado o Hospital Metropolitano, construído no bairro Cristo Rei. Com a estrutura física concluída, a intenção é que até o início de junho já esteja funcionando. A ideia é iniciar por este hospital o novo modelo de gestão. A instalação de equipamentos e contratação de pessoal ficará por conta da OSS que for escolhida ao final do processo do Chamamento Público da SES. No processo de definição da OSS responsável pelo Hospital Metropolitano, o Instituto Pernambucano de Assistência e Saúde (IPAS) se habilitou na primeira etapa da licitação e, após a análise da proposta, o resultado será divulgado nesta segunda-feira. Em Pernambuco, Henry conheceu unidades gerenciadas pelo IPAS e as visitas fizeram parte do processo de averiguar in loco os procedimentos adotados pela entidade que participa do processo.

Henry, que já visitou unidades de saúde gerenciadas por OSS em São Paulo, conheceu em Pernambuco unidades gerenciadas pelo IMIP (Instituto Materno Infantil de Pernambuco) que gerencia o Hospital Dom Helder, e o IPAS, que gerencia, em Recife, a UPA Imbiribeira e o Hospital Amélia Gueiroz (próprio), em Agrestina. O instituto também participa da gestão dos hospitais Memorial Jaboatão e Memorial Guararapes, ambos localizados em Jaboatão dos Guararapes, cidade de 644 mil habitantes na região metropolitana, a 18 Km da capital.

“Com este modelo, não tenho dúvidas de que vamos oferecer um serviço de qualidade à população em Mato Grosso”, afirmou Pedro Henry logo após as visitas. Segundo o secretário, os projetos para a construção de duas UPAs em Várzea Grande já foram aprovados pelo Ministério da Saúde e os recursos estão garantidos. “Com o hospital funcionado e também com as duas UPAs, vamos desafogar a grande demanda nos hospitais e também nos pronto-socorros de Cuiabá e de Várzea Grande”, observou.

Titular da Comissão de Saúde, a deputada Luciane Bezerra (PSB) representou a Assembleia Legislativa durante as visitas. Ela disse que sua impressão foi a melhor possível. “Confesso que tinha dúvidas em relação às OSS [Organizações Sociais de Saúde] por conta de boatos sobre irregularidades em alguns estados. Mas, conversando com a Secretaria de Saúde, visitando unidades e vendo o funcionamento, acredito que se for feito com seriedade, igual ao que está sendo feito aqui, com certeza será o pontapé inicial para tirar a Saúde de Mato Grosso da UTI”, declarou. Também participaram das visitas o vereador Toninho da Glória (PV) e o superintendente de Gestão da Secretaria de Saúde de Várzea Grande, Odenir de Arruda Barbosa.

Fonte:Diário de Cuiabá


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!