MST ocupa fazendas em 17 Estados para marcar Abril Vermelho

18/04/2011 13:39

Movimento reivindica recursos para reforma agrária e programas para o campo

Desde o início de abril, mais de 70 latifúndios em 17 Estados foram ocupados por integrantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra.

As ações fazem parte do Abril Vermelho que o MST realiza todos os anos para lembrar o  massacre de Eldorado dos Carajás. Há 15 anos, 19 sem-terra mortos em uma estrada no Pará e até hoje os dois condenados continuam em liberdade.

O MST diz que 100 mil trabalhadores rurais participam das ocupações.

Na semana passada, dirigentes do MST se encontraram com o secretário-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho. Os trabalhadores também se reuniram com os ministérios do Desenvolvimento Agrário, da Educação, do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e no Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária).

Durante este mês, os membros do MST fizeram manifestações em 13 sedes do Incra. Além disso, houve fechamento de estradas, acampamentos, debates, audiências públicas e reuniões em órgãos dos governos estaduais responsáveis pela questão agrária.

 

O MST reivindica a recomposição do Orçamento do governo para reforma agrária, para as demandas da educação do campo e para a renegociação das dívidas dos assentados. Eles também querem planejamento em torno das terras públicas e daquelas em que foram encontradas práticas de trabalho escravo ou de crime ambiental.

A criação de um programa de regularização da dívida dos assentados também faz parte da pauta apresentada pelo MST em Brasília. A educação no meio rural e o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária são considerados prioritários pelos sem-terra. Segundo o MST, desde o ano passado, foram fechadas 24 mil escolas no campo.

Fonte:R7


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!