Petista pede expulsão de Serys do PT

19/02/2011 07:37

Além da ex-senadora Serys Slhessarenko, o ex-presidente do Sintep pediu expulsão de outros membros da sigla por infidelidade partidária

 

A ex-senadora Serys Slhessarenko (PT) não apoiou a candidatura majoritária de Carlos Abicalil para o Senado



Membros do PT ligados ao ex-deputado federal Carlos Abicalil protocolaram ontem um pedido de expulsão do partido da ex-senadora Serys Slhessarenko e outros integrantes. O autor do requerimento, Júlio Cesar Viana, argumenta que a ex-senadora não respeitou os correligionários na eleição de 2010, quando declarou apoio a candidatos de outros grupos.

A briga interna na legenda é apenas reflexo da disputa que começou no ano passado entre o grupo de Abicalil e de Serys. Os dois concorreram à prévia para definir a candidatura ao Senado. Porém, Serys afirmava que tinha o direito natural de ir à reeleição. Os dois se enfrentaram na eleição interna, que acabou na vitória de Abicalil. A petista saiu então como candidata à deputada federal. Ela não fez questão de esconder a situação conflituosa, atacando o petista durante a campanha. Nenhum dos dois conseguiu se eleger.

Júlio Viana, ex-presidente do Sindicato dos Servidores do Ensino Público (Sintep), afirma que a senadora prejudicou todo o partido, não apenas a campanha de Abicalil, ao adotar a postura de retaliação contra os próprios integrantes do PT. “Ela deu declarações na tribuna do Senado desmerecendo os integrantes que não são do grande centro. Mas fomos nós que ajudamos a elegê-la”. Viana disputou, sem sucesso, uma vaga de deputado estadual.

Viana também argumentou que ela não colocou em seu material de campanha os nomes dos candidatos majoritários. E ainda, por diversas vezes, falava em nome do candidato da oposição Pedro Taques (PDT).

Ele também pediu a expulsão do ex-vereador de Rondonópolis, Juca Lemos, e de Heroísa de Mello Schustz, que foram candidatos a deputado estadual. Segundo Viana, os dois também não colocaram em seus materiais de campanha propaganda dos candidatos majoritários.

O presidente estadual do partido, deputado federal Ságuas Moraes, disse ontem que tinha conhecimento superficial da representação porque acabara de chegar a Cuiabá. Ele adiantou que nesse caso a Executiva se reúne para determinar os encaminhamentos, mas em se tratando de um pedido de expulsão é a Comissão de Ética a responsável pela análise.

OUTRO LADO - A ex-senadora considerou como absurdo esse pedido de expulsão e disse ter certeza de que Júlio Viana tomou a medida com o consentimento de Abicalil. “Isso é coisa de gente desesperada. Por que depois de cinco meses resolvem pedir minha expulsão?”, indagou Serys.

No entanto, ela se defende dizendo que tem 20 anos de mandatos consecutivos, como deputada estadual e senadora, todos pelo PT, e que sempre lutou pela construção do partido. Por isso descarta querer sair do PT, mesmo com todos os problemas interpessoais. “O Júlio é uma sombra do Abicalil. Eu acho muito estranha essa atitude, até porque o momento é para a reconstrução do partido. Será que não percebem que com isso só vão enfraquecer o PT? Essa foi uma atitude muito equivocada, que só vai prejudicar o partido”, disse Serys Slhessarenko.

Fonte:Diario de Cuiabá

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!