Polícia prende 16 de quadrilha que vendia drogas em sorveteria

03/05/2011 19:31

Nove meses de investigações resultaram na prisão de 16 integrantes de uma quadrilha de tráfico de drogas na região Médio-Norte de Mato Grosso, nesta terça-feira (03.04), na operação “Faxina”. A operação foi deflagrada pela Polícia Judiciária Civil para cumprimento de 17 mandados de prisão temporária (30 dias) e de busca e apreensão nos municípios de Nobres, Diamantino, Alto Paraguai, Jangada e Cáceres. Entre os pontos de venda de drogas descoberto pela Polícia estão duas sorveterias.

A quadrilha movimentava 6 quilos de cocaína por semana, trazidos da fronteira para abastecer traficantes, principalmente de Diamantino e Nobres, bases da operação comandada pelo delegado regional, Wilson Leite. Depois de “batizada” a droga rende cerca de 18 quilos, sendo que um quilo dividido em porções contabilizas em quatro mil trouxinhas vendidas no mercado ilícito do tráfico de drogas.

Nas cidades de Diamantino e Cáceres, os policiais apreenderam cinco veículos (1 Honda Civic,1 caminhonete F 4000 e 3 motocicletas) adquiridos com o dinheiro do tráfico de drogas. Em Alto Paraguai, foram apreendidos 700 gramas de maconha.

Na Capital, no dia 23 de dezembro passado, policiais da Inteligência da Polícia Civil conseguiram prender Marcos da Silva Canette, 38 anos, no trevo de acesso ao bairro Tijucal, próximo ao supermercado Atacadão, com 4 quilos de pasta-base dentro de uma sacola de viajem. O traficante continua preso em Cuiabá respondendo processo criminal.

A droga teria vindo da região de Cáceres, onde policiais da Delegacia Regional procuram pelo principal fornecedor de entorpecentes dos traficantes do Médio-Norte. A operação mobilizou 70 policiais, entre delegados, investigadores e escrivães para cumprimento das ordens de prisão e busca.

A quadrilha era comandada por Meirivaldo Ferreira de Oliveira, vulgo "Vado", atualmente cumprindo pena por tráfico de drogas na Cadeia Pública de Nobres. De lá, ele comanda a associação criminosa para o tráfico de drogas de dentro da cadeia via telefone celular.

Do esquema participa Mariagela da Silva Moreira, esposa de  "Vado", responsável pela movimentação financeira da quadrilha. É ela quem  efetua os pagamentos, os recebimentos e armazena o estoque da droga. Reside em Nobres. Outro familiar de "Vado" na quadrilha é Merivelto Ferreira de Oliveira, o "Verto", atualmente foragido. Consta contra ele  mandado de prisão preventiva pelo crime. Além de irmão,  "Verto"   é  pessoa de confiança de "Vado" e assumiu posição de destaque no grupo, gerenciando a distribuição de entorpecentes.

Outro participante é Rogério Romera, o  "Pintado",  segundo na linha de confiança de "Vado" sendo também responsável pelo gerenciamento de distribuição da droga.

Um dos principais comerciantes da droga da quadrilha é Cassiano de Lima de Camargo, o "Cara de Arraia". Ele possui em Diamantino  dois pontos comerciais de venda de sorvete,que seria fachada para o tráfico. Os pontos funcionavam na Rua 3 de Dezembro, S/N, Centro, Diamantino, e na Rua das Araucárias, esquina com o Sete Copas, Novo Diamantino. Cassiano comprava a droga de "Vado" e revendia para varejistas na cidade e outras da região.

Com o objetivo de aparentar legalidade ao seu patrimônio, Cassiano instalou algumas sorveterias que é administrada na maior parte do tempo por sua esposa Alessandra, outra atividade que ele executa com o objetivo de justificar suas movimentações é a de negociador de veículos usados.

Fonte:24HorasNews


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!