Primeira obra da Copa, duplicação da MT-251 será refeita e terá “nova capa”

26/04/2011 07:02

Esqueçam tudo que viram na MT-251, que liga Cuiabá a Chapada dos Guimarães. A duplicação da rodovia como primeira obra da Copa do Mundo, em Cuiabá, será refeita e ainda terá uma nova capa de asfalto. Aqueles pouco mais de dois centímetros que começou a “esfarelar” em menos de quatro meses de uso não está valendo, segundo o governador Silval Barbosa. “A obra não está conclusa. Por isso, o Estado não a recebeu. O projeto foi mudado” – disse, ao dar posse nesta segunda-feira ao novo presidente da Agecopa, Eder Moraes, e ao novo secretário-chefe da Casa Civil, José Lacerda.

Entre o que foi projetado e o que vai ser feito, segundo revelou o governador, há muitas alterações. Ele lembrou que a região ganhou super valorização a partir da escolha de Cuiabá como cidade-sede da Copa de 2014, a começar pela própria especulação imobiliária. Calcula-se que 4 mil novos imóveis em condomínios fechados devem ser construído ao longo da rodovia nos próximos anos. Isso exigiu, segundo ele, alterações substanciais no trecho entre o trevo que liga Cuiabá ao distrito da Guia até o trevo da Fundação Bradesco.

Silval disse que estão previstos uma série de intervenções ao longo dessa área, que integra o perímetro urbano. Ele citou o caso de construção de passarelas e até viadutos como sendo necessários para atender o fluxo de veículos e pessoas que circularão nos sete quilômetros cujas obras não começaram.

Já no trecho questionado, entre a Fundação Bradesco, na saída do Jardim Vitória, até o acesso a Rodovia de Manso, no total de pouco mais de 12 quilômetros, a construtora Cavalca Engenharia já foi notificada a promover as devidas reparações. E não serão poucas. Obra licitada no Governo de Blairo Maggi, a via, aberta ao público há menos de quatro meses, está deteriorada em vários pontos.

Silval disse que a lei assegura cinco anos de vida útil para os empreendimentos, mas que as obras a serem licitadas em seu Governo seguirão o padrão de interesse da defesa do dinheiro do contribuinte. “Disso não abro mão” – frisou.

Além da qualidade questionável do asfalto e do trabalho feito até aqui de duplicação da MT-251, a obra apresenta  ainda falhas também de engenharia. Usuários da rodovia criticam, por exemplo, os desníveis existentes ao longo dos 12,2 quilômetros. Além disso, notaram que a rotatória que dá acesso ao distrito de Coxipó do Ouro, berço do nascimento de Cuiabá,  tem falhas: ela é estreita e foi chamada de “rotatória de pista de kart”, aqueles pequenos carros de corrida.

Fonte:24HorasNews


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!