Repórter diz que só se sente segura com ex-vereador na cadeia

26/02/2011 09:07

Márcia Pache, do SBT, diz que Kirrarinha é um desequilibrado; ela pedirá indenização

 


A jornalista Márcia Pache, do SBT, que foi agredida pelo ex-vereador Kirrarinha (destaque):


A repórter da TV Centro-Oeste (SBT/Canal 6), de Pontes e Lacerda (448 km a Oeste de Cuiabá), Márcia Pache, avaliou, nesta sexta-feira (25), que a Justiça deu uma resposta à sociedade ao decidir pela condenação do ex-vereador Lourival Rodrigues Moraes, vulgo "Kirrarinha", a um ano de prisão.


No entanto, ela destacou que o agressor deveria cumprir pena em regime fechado, e não aberto, conforme prevê a decisão do juiz Gerardo Humberto Alves, da Comarca da cidade.

A jornalista foi agredida com um tapa no rosto, em junho do ano passado, quando tentava entrevistar o ex-vereador, no Centro Integrado de Segurança e Cidadania (Cisc) da cidade, após ele prestar depoimento sobre um inquérito a que respondia na época.

"A decisão não foi como esperávamos, em função de ele responder por vários processos. Mas, reconheço que houve uma resposta à sociedade e me sentiria mais segura se ele estivesse preso. Fico um pouco tensa, pois, para mim, ele é uma pessoa desequilibrada. A agressão que sofri dentro do Cisc comprova que ele não tem medo das autoridades", afirmou Márcia Pache, em entrevista  ao MidiaNews.

Intimidação

A repórter revelou que, desde que a sentença foi proferida pelo juiz, recebeu 34 ligações telefônicas de um número desconhecido - o que, para ela, seria uma forma de intimidação.

Ela acredita que as ligações sejam de alguma pessoa ligada ao vereador, que, conforme observou, tem muitos simpatizantes em Pontes e Lacerda.

"Ligam-me e, na hora em que atendo, não falam nada. Ligam mesmo só para me incomodar ou intimidar. Acredito que deve ser algum fanático por ele (vereador), pois, mesmo como a candidatura a deputado estadual impugnada pela Justiça Eleitoral, ele teve 1.213 votos. Tem gente que ainda o apóia, acha bonito [o que ele fez]", afirmou a jornalista.

Na época em que agrediu a jornalista, Kirrarinha era candidato a deputado estadual, mas ele foi expulso do DEM e teve a candidatura impugnada.

Pena branda

Para Márcia Pache, a pena de um ano em regime aberto é muito "branda", em virtude de tudo o que passou como mulher, profissional e mãe, desde que foi agredida por Kirrarinha.

Ela afirmou que não irá recorrer da decisão, mas, nos próximos dias, deverá ingressar na Justiça com um pedido de indenização por danos morais.

Fonte:Midia News


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!