Safra 2010/2011 tem maior produção de trigo dos últimos anos

13/12/2010 13:37

 

A safra nacional de grãos 2010/2011 divulgada, nesta quarta-feira, 10 de novembro, deve ficar entre 146,26 milhões e 148,82 milhões de toneladas. Os números são da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e fazem parte do segundo levantamento deste ciclo, que considera ainda intervalos de produção e área para a intenção de plantio. O cultivo de algodão, feijão, arroz e trigo é destaque no estudo. Este último deverá ter uma das maiores safras dos últimos anos, tanto em produtividade quanto em qualidade. A produção estimada do cereal é de 5,60 milhões de t contra as 5,02 milhões t da safra anterior. Mesmo com redução de 11,8% na área de plantio, o aumento de produção de trigo é de 11,5%, com cultivo centralizado na região Sul.

            Na análise geral da safra, a produção de grãos sofrerá redução de 487 mil a 2,48 milhões t sobre a safra passada (148,82 milhões t). Já em relação ao levantamento realizado em outubro, o número é 0,5% superior. A área destinada ao plantio deve ficar entre 47,24 milhões (-0,02%) e 48,01 milhões de hectares (+1,3%), quando comparada à anterior (47,37 milhões ha). 

           O algodão em caroço cresceu em área e produção.  O grão eleva a colheita de 2,56 milhões (+39,1%) a 2,72 milhões t (+47,5%), comparado ao período passado, que foi de 1,84 milhão t. Já a área plantada pode crescer entre 1,08 milhão (+29,3%) e 1,14 milhão ha (36,9%).

            A soja apresenta aumento na área, com variação de 23,76 milhões (+1,1%) a 24,20 milhões ha (+3,1%), sendo que, no período anterior, esse número chegou a 23,46 milhões ha. A colheita deve ficar entre 67,69 milhões (-1,4%) e 69 milhões t (+0,5%) sobre a safra passada (68,68 milhões t).

            O incremento também é verificado na produção do feijão total, que terá variação entre 3,40 milhões (+5,3%) e 3,49 milhões t (+7%) contra as 3,26 milhões t da última safra. A produção de arroz deve aumentar de 12,16 milhões (+8%) a 12,31 milhões t (+9,3%). Já o milho total sofrerá redução de 51,83 milhões (-7,4%) a 52,71 milhões t (-5,8%) sobre as 56 milhões t do último ciclo, o mesmo ocorrendo com a área que diminui de 12,62 milhões (-2,7%) a 12,77 milhões ha (-1,5%).

          O estudo da Conab tem como base a média de produtividade obtida nas últimas cinco safras, descartados os anos atípicos e agregado o ganho tecnológico. Cinquenta técnicos realizaram a pesquisa entre 25 e 29 de outubro. Eles ouviram representantes de cooperativas e sindicatos rurais, órgãos públicos e privados nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Das regiões Norte e Nordeste, onde o plantio só começará em dezembro, foram considerados os dados de área da safra anterior e a produtividade média dos cinco últimos anos.

Fonte:Olhar Direto

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!