Setor produtivo discute viabilidade da hidrovia Paraguai-Paraná

17/05/2011 08:28

 


 

Com viabilidade econômica, técnica e, principalmente, um modal essencial para o desenvolvimento de Mato Grosso. Este é o perfil da hidrovia Paraguai-Paraná, que volta à pauta de discussões entre setor produtivo e poder público nesta quinta-feira (19), a partir das 9h, na Câmara dos Deputados, em Brasília. O encontro é uma iniciativa do Sistema Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Sistema Fiemt), por meio do Conselho Temático de Infraestrutura (Coinfra), em parceria com o governo do Estado.

Intitulado 'Workshop Hidrovia Paraguai-Paraná', o evento reunirá além de representantes do setor produtivo, o governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, especialistas do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), membros do Conselho Pró-Hidrovia, do Movimento Pró-Logística, o presidente em exercício do Sistema Fiemt, Jandir Milan, o presidente do Sistema Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul (Sistema Fiems), Sérgio Marcolino Longen, representantes de empresas com atuação no ramo instaladas em Cáceres, Corumbá, Assunção, Santa Fé, Nueva Palmira, entre outras, além de diversas autoridades públicas.

"Precisamos de eixos integrados de desenvolvimento e a hidrovia se mostra um importante modal logístico não só para Mato Grosso, mas para outros Estados, regiões e países. Quando se analisa o retorno do investimento, ainda a ser realizado, constatamos que a hidrovia Paraguai-Paraná é uma das vias de escoamento que dá maior retorno. Integração, benefícios sociais, desenvolvimento regional, baixo impacto ambiental, baixo custo do frete, além da geração de emprego e arrecadação de tributos são relevantes questões que envolvem a viabilidade dessa hidrovia", avalia o presidente em exercício do Sistema Fiemt, Jandir Milan.

No encontro ocorrerá uma apresentação do contexto socioeconômico do modal, suas vantagens, impactos reais e em seguida estará aberto o espaço para a discussão sobre o tema. Para o presidente do Coinfra e diretor do Sistema Fiemt, José Alexandre Schutze, será um oportunidade ímpar para apresentar e reforçar às autoridades e especialistas presentes a importância da hidrovia. "É algo indiscutível. Hoje temos um dos fretes mais caros e somos um dos maiores produtores do país, é antagônico. Precisamos mobilizar ações como esta para comprovar, com dados e estatísticas, o quanto a hidrovia Paraguai-Paraná é necessária e está dentro de nossa realidade", comenta.

Fonte:Diário News


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!