Assessor de prefeitura participava de assaltos a banco

18/11/2011 21:21

Fonte:Gazeta Digital

Não bastasse o envolvimento da investigadora da Polícia Civil, Silvana Cristina da Silva Barbosa com a quadrilha que assaltou o Banco do Brasil de Santo Antônio do Leste (379 km ao Sul) na semana passada, agora sabe-se que outro envolvido com a quadrilha também tinha informações privilegiadas. Trata-se do assessor da prefeitura de Santo Antonio do Leste, José Jonas Silva Cruz, que auxiliava a quadrilha com informações do trabalho desenvolvidos pelas polícias Civil e Militar de Primavera do Leste. Além do assessor e da policial, outras 3 pessoas do bando já estão presas.

Enquanto isso, outra parte da quadrilha permanece cercada na mata e houve uma tentativa de resgate que terminou em troca de tiros entre os policiais e comparsas que tentavam pegar um carro roubado na cidade e deixado nas proximidades para regaste dos assaltantes que ainda estão escondidos na mata. Caso conseguissem escapar utilizariam documentos falsos que foram apreendidos dentro do quarto de um hotel.

Delegada Ana Cristina Feldner, da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) que comanda as investigações, disse que a Polícia sabia da existência de uma pessoa com nome “Jonas” e de um veículo Pálio prata, que também iria auxiliar a quadrilha na fuga, mas ainda não sabia que ele era o assessor da prefeitura. As outras prisões ocorreram nesta quinta-feira quando a policial civil tentava resgatar o bando em seu veículo para se livrar de uma eventual checagem em alguma barreira policial.

Cristina e os 3 presos com ela foram autuados em flagrante por roubo qualificado em concurso de pessoa, uso de arma de fogo e restrição de liberdade da vítima, formação de quadrilha armada e tráfico de drogas, crimes que também devem ser imputados agora ao assessor da prefeitura, que conforme a delegada, chegou ao ponto de acompanhar os levantamentos preliminares no dia do assalto dentro e próximo do banco. “Ele teve acesso ao local e acompanhou todo o trabalho das duas polícias, tinha contato com os policiais e fazia muitas perguntas sobre as investigações”, destacou a delegada.

Os policiais efetuaram a prisão do assessor quando apreenderam o veículo Pálio e descobriram que era de sua propriedade. O carro estava com os chassis, motor e etiquetas adulterados em uma funilaria de sua propriedade.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!