Contratados vivem expectativa por efetivação

09/01/2012 08:34

Intensa movimentação no comércio para as compras de fim de ano chegou ao fim. Com a chegada do novo ano começa também a ansiedade e expectativa de centenas de trabalhadores temporários que foram contratados e esperam ser efetivados em 2012. No fim do ano, segundo dados da Federação do Comércio, Bens e Serviços de Mato Grosso (Fecomércio/MT) foram criadas 8,4 mil vagas no Estado.

Para ter a carteira assinada de forma permanente é preciso seguir algumas regras, especialmente na área de vendas. Ser e estar vendedor são dois estados distintos, mas o estar pode fazer a pessoa se tornar (ser) um profissional. Luiz Cláudio Gomes, orientador de Excelência e neurolinguista, afirma que há uma diferença grande entre ser e estar vendedor. Ele diz que estar é quando um profissional trabalha na área temporariamente, principalmente por causa de dinheiro. Já ser um vendedor é sinômino de compromisso e a renda é um fator secundário da profissão.

Segundo ele, o primeiro passo para avançar do estágio "estar" para o "ser" um vendedor é entender as oportunidades. "Se a pessoa assume a profissão ele começa a ser percebida pelos clientes e pelos superiores". O segundo passo é o conhecimento. Saber quais produtos vende para fazer uma boa apresentação ao consumidor é fundamental para se destacar entre os concorrentes. Já o terceiro item é o comprometimento. "O vendedor tem de estar sempre estimulado, pronto para atender o consumidor da melhor maneira possível. O entusiasmo é fundamental para a fidelização do cliente".

Márcio Alberto Reiners, 24, trabalha como vendedor há 4 anos e 3 meses e afirma que na sua trajetória profissional aprendeu de tudo um pouco. "Abordagem do cliente, pós-venda, tendências, função de todo o tipo de calçado entre outros conhecimentos eu adquiri nestes últimos anos", diz ao revelar que outra motivação que tem, além do aprendizado diário, é a remuneração. Afirma que a empresa paga, além do salário, premiação para cobertura de cotas, prêmios quando atinge-se a meta, e que por isso é possível ter um bom rendimento no fim do mês.

Já Graciele Monteiro, 27, está na atividade há 1 ano e 3 meses e afirma que o contato com os clientes e a amizade com eles torna a profissão atraente. Conta que faz os cursos oferecidos pela empresa e afirma que antes trabalhava na função por necessidade mas que agora é porque gosta.

Hévila Silva, gerente de uma loja de confecções afirma que a identificação de um bom vendedor ocorre na entrevista. "Sabemos se a pessoa é uma boa profissional conversando com ela", diz ao informar que o entrosamento dos vendedores é essencial e que a rotatividade na loja onde trabalha é baixa. "O funcionário mais novo tem um ano de casa".

Já a psicóloga de uma rede de lojas em Cuiabá, Larissa Lacerda Scomparin, afirma que força de vontade, compromisso e bom atendimento são as principais características observadas pelos comerciantes na hora de definir quem será efetivado. "Independentemente do produto que vende, o vendedor não deve ter medo".

Luiz Cláudio Gomes diz ainda que o sorriso é fundamental e deve estar presente no rosto dos vendedores sempre, uma vez que o clima na loja reflete na decisão do cliente com relação à compra. Já para o empresário, o especialista diz que ele não pode se isolar no escritório e se achar superior aos vendedores. "Um bom gerente é acima de tudo um líder, que está ao lado da equipe em diversos momentos. Não é porque ele vai desempenhar a atividade de um vendedor eventualmente, que perderá a liderança".
 


Autora: Fabiana Reis
Fonte: Gazeta Digital


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!