Empresário fornecia armas a organização criminosa em Rondonópolis

06/02/2012 08:54

Durante as investigações da operação "Cascalhinho", desencadeada na sexta-feira (03), a Polícia Civil descobriu que um dos principais braços da quadrilha era proprietário de um restaurante de comida mineira, localizado no centro de Rondonópolis, considerado um dos mais populares da cidade.

Com histórico criminal de porte ilegal de arma de uso restrito corrupção passiva e estelionato/fraude de seguro, o empresário de 31 anos, foi autuado por posse ilegal de munições de uso restrito, com pena de 3 a 6 anos de reclusão.

O empresário mantinha contato direto com um outro acusado e dava apoio com o fornecimento e negociação de armas e munições. Em seu restaurante, os policiais encontraram 44 munições calibre 9 mm (de uso restrito) e 40 munições calibre 380, além de vários estojos de calibre variados, todos deflagrados.

A Polícia também apreendeu no estabelecimento dele 4 algemas da Secretaria de Segurança de Minas Gerais, que podem ser produto de peculato, já que o empresário foi agente prisional naquele estado. Ele também tinha em seu poder uma carteira com o Brasão da Polícia Civil de Mato Grosso, dois notebooks e 37 cartões magnéticos bancários de clientes, que podem ter sido clonados, pois as respectivas senhas estavam coladas nos cartões.

Conforme o delegado Claudinei Lopes, outros três integrantes do bando continuam foragidos. "A Delegacia continua o trabalho para a conclusão do inquérito, com as confirmações dos crimes perpetrados pela referida organização criminosa, verificando as ocorrências policiais, podendo representar por outras prisões de suspeitos que ainda não foram totalmente identificados", disse o delegado.

Os presos foram encaminhados à cadeia e a policial militar recolhida junto ao Comando da Polícia Militar de Rondonópolis, já que não recolheu o valor da fiança arbitrado.

Para a operação foram mobilizados 40 investigadores, 5 escrivães, lotados na DERF, núcleo de inteligência da Delegacia da Regional, CISC, Delegacia da Vila Operária, DEA, Delegacias de Jaciara, Campo Verde e Grupo de Operações Especiais (Goe) de Cuiabá, sob o comando dos delegados da Derf Claudinei Lopes, José Lucídio e Antonio Araújo da DERF, e dos delegado Afonso Santos (Regional), Marcos Ferreira (Jaciara) e Fernando Vasco (Campo Verde).

 

Fonte: Só Notícias com assessoria


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!