Exportação aumenta em 40%

03/03/2012 07:27
Exportação de algodão de Mato Grosso para Argentina tem crescimento visível
 
Fonte:clique F5
 

Com 40,7% de aumento em janeiro, em relação a dezembro do ano anterior, as exportações de algodão matogrossenses destinadas à Argentina, somaram o equivalente a 898,8 mil toneladas. Vale ressaltar que este é o maior país da América do Sul a demandar a fibra brasileira e mato-grossense. Neste contexto, as exportações brasileiras de algodão destinadas à Argentina também aumentaram 82,6% no mesmo período. A informação é do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).
Em janeiro 69% das exportações do Estado foram destinadas a este país. O acumulado estadual de 2011 registrou 3,24 mil toneladas, uma redução de 28% em relação ao volume anual de 2010. Essa redução das exportações para a Argentina foi devido ao incremento da produção e o consumo estável deste país em 2011, fato que não deve ocorrer em 2012.
Área - a evolução do algodão no Brasil vem crescendo gradativamente, em destaque está Mato Grosso, que de 2001 a 2012 teve um aumento na sua área em 408,5 mil hectares, segundo informações da Conab. Já o Estado da Bahia, que a partir da década de 1970 estava em 1º no ranking em área plantada, foi ultrapassado por Mato Grosso em 1996. Como Mato Grosso e Bahia têm um grande potencial para produção de algodão devido à disponibilidade de solos, devem ocupar as mesmas posições no ranking nas próximas safras.
Os Estados da Bahia e de Mato Grosso representam juntos 81% da produção de algodão no Brasil, sendo 1.138,8 mil hectares. A área plantada de algodão no Brasil, em relação à safra anterior, deve se manter a mesma em 2012, com 1,4 milhão de hectares (Conab).

Mercado interno e internacional do algodão no país

Em 2011 o Brasil exportou 38,7% da sua produção de pluma (Conab), e apesar de o volume exportado ter sido recorde, 758,3 mil toneladas (Secex), a participação foi menor se comparada a 2010, quando 42,9% da produção nacional foi para o exterior. Reflexo disso foi o grande acréscimo dos estoques iniciais da safra 2011/12, já que o consumo interno também retraiu em 2011. Em 2012 as perspectivas são de leve aumento no consumo interno, porque as indústrias têxteis andam desaquecidas, devendo consumir 950 mil toneladas de pluma. Este cenário impulsiona as exportações, já que as estimativas são de que o Brasil exportará 43,2% de sua produção em 2012 a um valor menor. Os preços da pluma no mercado interno apresentaram leves quedas desde o começo de fevereiro, com variação mensal de -2,4%, demonstrando a tendência de acompanhar os preços do mercado internacional, que, apesar de estáveis, estão bem menores. Porém, se o consumo brasileiro continuar o mesmo, a tendência baixista do preço interno deve permanecer. Já o mercado internacional vem mostrando certo equilíbrio nas cotações, resultado das boas exportações dos EUA e compras da Ásia.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!