Funai confirma que servidores continuam reféns de índios no Nortão

20/10/2011 08:29
A Fundação Nacional do Índio (Funai) divulgou, na tarde desta quarta-feira (19) , que alguns 4 servidores e mais 3 pessoas funcionárias de uma empresa continuam sendo mantidos em poder dos índios Kayabis, na divisa entre Mato Grosso e Pará, desde segunda-feira (17). A assessoria de imprensa do  apontou,  que "o clima é pacífico", informa a instituição. Os índios não liberaram as pessoas em protesto a construção da usina hidrelétrica São Manoel, prevista entre Paranaíta (851 km ao norte de Cuiabá) e Jacareacanga, e cobram a demarcação de terras.
 
O órgão apontou que essa ação estava paralisada devido a uma decisão judicial, que, há três meses foi derrubada pela procuradoria da fundação. "Com a desobstrução do processo, a Funai dará continuidade aos procedimentos de demarcação de referida terra, com publicação, ainda este ano, de edital de licitação, para contratar a empresa que procederá a demarcação física da T.I. [Terra Indígena] Kaiaby, objeto do seu interesse".
 
Os reféns foram a aldeia para uma reunião, sobre a construção da usina hidrelétrica. Os índios ainda avaliam a liberação deles. O barramento da usina formará um reservatório com área total de 63,96 quilômetros quadrados, segundo a Empresa de Pesquisa Energética, que prevê o leilão do projeto para dezembro. O objetivo é contratar energia para o mercado das distribuidoras em 2016. A energia gerada será suficiente para atender população de aproximadamente 2,5 milhões de pessoas.

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!