Ibama e Exército fazem "operação de guerra" nos garimpos de MT

21/08/2011 12:28


Há cerca de dois meses na região de Alta Floresta, o Exército, Ibama, Polícia Federal e Força Nacional deram início essa semana a uma ação mais ostensiva no combate ao desmatamento, queimadas, exploração de ouro e outras atividades executadas de forma irregular, sem licença ou em reservas indígenas. “A informação que temos é que desde que eles entraram lá, ninguém sai e ninguém entra” - disse uma testemunha.

A base do Exército que estava em Alta Floresta mudou praticamente toda sua estrutura para a cidade de Nova Bandeirantes nos últimos dias. Daquele município localizado há cerca de 300 quilômetros de Alta Floresta, os federais seguiram de carro, caminhões e helicópteros para regiões onde há extração de ouro há pelo menos 30 anos. Testemunhas comentam que os garimpos do Novo Astro e Juruena, a cerca de 200 quilômetros de Nova Bandeiras foram praticamente lacrados. Além de dragas, tratores e PCs, máquinas avaliadas em cerca de 800 mil reais, teriam sido confiscadas na Operação.

Ibama, Polícia Federal e Exército, além da Força Nacional estariam também a procura de máquinas que, segundo fontes, foram escondidas. Temendo a operação, muitas pessoas teriam abandonado maquinários e fugido. Até o momento não há informação de confrontos ou pessoas presas. Muitos garimpeiros no entanto, são intimados para prestar depoimento.

O clima tenso, no entanto, é observado na região. Até mesmo os agentes federais estariam analisando a ação como ‘operação de guerra’. Cerca de 100 pessoas que estavam na área, no momento da ação, estão sendo ouvidas desde ontem. O principal objetivo agora, de acordo com o superintendente, é saber realmente, quem “são os verdadeiros cabeças” que comandavam a exploração no local, que fica próximo a divisa do Parque Nacional Juruena. “Nós já vinhamos investigando há algum tempo, e há indícios, inclusive de exploração ilegal dentro do parque”, declarou o superintendente do Ibama, Ramiro Martins.

Em entrevista publicado pelo Só Notícias, Ramiro informou que ainda não há como precisar o total da área explorada e os prejuízos da devastação. “Ainda vamos fazer o levantamento, porque ainda vamos instalar internet no local, colher os depoimentos”. Ele esclareceu que as pessoas que estão sendo ouvidas não estão detidas, mas responderão por crime ambiental. O total de materiais apreendidos não foi mensurado, mas são na maioria tratores e motores, que eram utilizados na atividade ilegal.

O superintendente declarou que todo o material apreendido ainda está na área ilegal, porém, deve ser encaminhado inicialmente para Nova Bandeirantes. Depois, dependo de logística e da quantidade de materiais, vamos avaliar para onde encaminhá-los”, afirmou.

Informações de conhecedores da região dos garimpos Novo Astro e Juruena são que existe nas duas áreas milhares de pessoas, famílias que já não sabem o que fazer com o fechamento do garimpo.

Fonte:Só Notícias


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!