Investigações do GCCO mantêm presa quadrilha que tentou arrombar caixas eletrônicos em Várzea Grande

15/09/2011 08:16
 
Fonte:Agua Boa News

Terminaram autuados em flagrante por crimes de formação de quadrilha e tentativa de furto qualificado, as quatro pessoas presas sob suspeita de arrombamento de caixas eletrônicos, na terça-feira (13.09). As prisões iniciaram com a detenção de duas pessoas dentro da agência do banco Itaú, na Avenida 15 de Novembro, em Várzea Grande, por policiais militares, no início da madrugada e encaminhadas Central de Flagrantes da Polícia Judiciária Civil, que iniciou investigações com a Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO).

Joel de Jesus Vicente e Jaison Borges de Oliveira, ambos do Estado de Santa Catarina, foram encaminhados ao Plantão depois que câmeras do Centro Integrado de Operações de Segurança (CIOSP), flagraram os dois em atitude suspeita nas proximidades do banco. Ao ser entregue ao Plantão da Capital, o delegado plantonista, Jefferson Dias, constatou que o suspeito Jaison Borges de Oliveira, estava sem o documento de identidade. Ele informou que o documento estava em uma casa, no bairro Morada do Sol, em Cuiabá, onde segundo ele, estava hospedado. A equipe do Plantão com apoio do Grupo de Operações Especiais (GOE) foi até o local e prenderam Leomar Fernandes de Bessa e André Luiz Faria, também de Santa Catariana...

Os policiais ao chegarem ao local, viram um dos suspeitos se abaixar sob a janela de vidro, iniciando cerco policial. O segundo suspeito pulou o muro da residência, caindo em um terreno baldio. Após serem detidos foram levados ao Plantão, que repassou o caso do GCCO.

O delegado Gianmarco Paccola Capoani, que passou recentemente a integrar a equipe do GCCO, informou que os presos eram investigados pelo serviço de inteligência e o GCCO por envolvimento em arrombamentos de caixas eletrônicos no Estado de Mato Grosso e em outros estados da federação. Segundo ele, os três são do Estado de Santa Catarina, que vieram para Cuiabá, de avião, para se associarem a outras pessoas da Capital, ligadas a roubos e furtos de caixas automáticos.

Conforme Gianmarco, a Polícia Civil conseguiu manter a prisão dos acusados, após comprovar pelas imagens das câmeras de segurança do banco, que Jaison Borges de Oliveira, especialista em abrir caixas eletrônicos, quebrou o terminal com uma marreta e depois tentou fraudar o sistema de segurança interna, ao fixar um objeto semelhante a uma cuba transparente, no sensor de movimento da agência, com uso de um pedaço de pau, parecido com um cabo de vassoura. O comparsa, Joel de Jesus Vicente, aparece do seu lado, tentando ocultar vestígios do arrombamento. “O objetivo era posteriormente, na madrugada, ‘cortar’ o caixa eletrônico com auxílio de um maçarico”, disse o delegado Gianmarco Paccola.

De acordo com as investigações, os três ladrões catarinense tinham escolhido os caixas da agência da 15 de Novembro, porque era mais antiga e não continha tinta que mancha as cédulas de dinheiro. A Polícia Civil também apurou que Andre Luiz Faria estava responsável pelo fornecimento das ferramentas (maçaricos) para Jaison ‘cortar’ o terminal e ainda conseguir hospedagem para os três que vieram de fora do Estado.

Em contato com a Polícia Civil catarinense, os policiais do GCCO foram informados que Jaison Borges de Oliveira possui condenação por crime de roubo qualificado naquele Estado e envolvimento em crimes contra fé pública (falsa identidade). De acordo com a Polícia Civil de Santa Catarina, Jason é considerado de alta periculosidade e André Luiz Faria tem antecedentes de furtos.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!