Juros do cartão de crédito não acompanham queda da Selic

17/06/2012 09:19

 

Mesmo com a redução de 8,5% da taxa Selic em maio, os juros dos cartões de crédito não sofreram alterações tão significativas, de acordo com a Fecomercio-SP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo). De acordo com a Federação, a redução da Selic, como a que vem ocorrendo desde agosto do ano passado, em tese, deveria resultar na queda das taxas praticadas no mercado. Segundo ela, a composição do spread bancário leva em consideração uma série de itens, entre eles, a inadimplência, que atualmente representa 35% dessa composição e encontra-se em um patamar controlado.


Juros
Em maio, a taxa média de juros dos bancos cobrada ao consumidor foi de 6,18% ao mês, a menor verificada desde 1995, segundo a Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade).

Segundo a Fecomercio, apesar da queda, o principal meio de pagamento utilizado pelas famílias brasileiras ainda não apresentou redução de taxa de juros cobrada no crédito rotativo. Segundo pesquisa de mercado a taxa média de juros dessa modalidade foi de 10,69% em maio e se mantém estável desde fevereiro de 2010.

Análise
Na análise da Fecomercio-SP, o governo poderia aproveitar o momento de medidas que visam a desoneração e se voltar para essa questão histórica dos juros do cartão de crédito que é um empecilho para o desenvolvimento econômico.

Segundo a Federação, além da baixa inadimplência, as perspectivas de crescimento de emprego e renda são animadoras. Outro agravante para a alta manutenção dos juros do cartão de crédito é o duopólio exercido pelas operadoras de cartão de crédito que, de acordo com o Banco Central, detém cerca de 70% do mercado.
 


Fonte: Infomoney


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!