Magistrada chegou a defender liberdade para o goleiro

29/06/2011 08:24

 Com relação a Maria José Starling e Robson Pinheiro, Bruno disse que Ingrid relatou a ele a negociação. Contou também que é procurado na penitenciária constantemente pelo advogado, que leva livros e "palavras de apoio" da magistrada, tratada, segundo ele, por "amiga". Revelou ainda que, após uma audiência presidida por Maria José, a juíza se reuniu com ele e sozinha em uma sala. "Ela dizia que tudo isso ia terminar logo", contou.

Na ocasião, a magistrada concedeu entrevistas afirmando que era a favor da libertação do goleiro. Bruno alegou ainda que não havia feito as denúncias antes porque "não era o momento". "A partir do momento que você está vestido de vermelho, é um preso. Não tem palavra. (Há) muita coisa nos bastidores que não veio à tona. Esse é o motivo do meu silêncio", alegou. Ouvida novamente pelos parlamentares, Ingrid confirmou as denúncias e contou que em uma ocasião, na casa da juíza, chegou a conversar com um homem chamado "Marcelo" que disse ser magistrado de Brasília.

De acordo com a dentista, "Marcelo" e Maria José se tratavam de forma carinhosa e ela acredita que "tivesse alguma relação afetiva entre eles". Pinheiro negou a tentativa de extorsão e afirmou, em nota, que não tinha como "garantir" a concessão do habeas-corpus.

Fonte:Marcelo Portela  / Belo Horizonte-AE 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!