Médicos do Samu pedem demissão

31/12/2011 07:54

Médicos que atendem os municípios de Rondonópolis, Jaciara, Campo Verde e Primavera do Leste reclamam da falta de estrutura e salários

Paramédicos do Samu fazem atendimento: na região Sul eles pediram demissão porque dizem que eles mesmos não foram atendi

Os 15 médicos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e Emergência (Samu) que atendem os municípios de Rondonópolis, Jaciara, Campo Verde e Primavera do Leste pediram demissão anteontem. O documento que oficializa a deliberação será protocolado nesta segunda (2), mas os profissionais só deixarão as atividades em 1º de fevereiro, após vencer o Aviso Prévio.

A presidente do Sindicato dos Médicos, Elza Queiróz, explica que há mais de um ano a categoria tem tentado, sem êxito, conseguir melhorias para os atendimentos - e que não haveria as mínimas condições estruturais de permanecer atendendo a população.

Ela acusa o prefeito de Rondonópolis, José Carlos do Pátio, de não ter provas que sustentem suas alegações. Ele diz ter investido 35% do orçamento na Saúde e que, por conta disso, não veria motivos para os pedidos de demissões.

A presidente diz que um documento intitulado “Dossiê do Samu de Rondonópolis” foi entregue ao chefe da Casa Civil, José Lacerda, no início de dezembro. A ideia era fazer com que o governador Silval Barbosa tomasse conhecido do sucateamento do setor. Ela diz que faltam ambulâncias, estrutura predial, uma central de regulação com ramais e que também há adicionais noturnos, de insalubridade e abonos salariais em atraso.

A médica acusa o prefeito de omitir informações e que inclusive os vereadores da cidade teriam cobrado do chefe do Executivo maiores esclarecimentos quanto aos investimentos na Pasta. “Ele diz que investiu 35%, mas comprovou isso?”, reage Elza.

A União repassa 50% do total investido em Saúde, o Estado 30% e município 25%, mas segundo ela apenas o Governo Federal estaria cumprindo o determinado em lei, já que o governo do Estado estaria com dois meses de repasses atrasados. “Tudo daria R$ 150 mil por mês que serviria apenas para manutenção, mas seria importante”.

O advogado que representa o sindicato dos médicos, Silvio Marinho do Nascimento, mantêm a acusação de Elza e garante que José Carlos do Pátio não tem provas para sustentar o montante que diz ter sido investido.

“Ele não tem provas, recebe o repasse para três unidades básicas de atendimento – ambulâncias com enfermeiros – e uma unidade avançada – com médicos -. No entanto, tem apenas duas básicas e uma avançada. Todas em estado deplorável”.

Os prefeitos de Rondonópolis, Campo Verde, Jaciara e Primavera do Leste, José Carlos do Pátio, Dimorvan Brescancin, Max Joel e Getúlio Viana, respectivamente, não foram encontrados para prestar maiores esclarecimentos. O salário dos médicos nas referidas cidades é de R$ 9,1 mil por mês.


Autor: ANA ADÉLIA JÁCOMO
Fonte: Do DC


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!