No PDT, líder do PPS avisa Taques que partido não será “usado como escada”

02/10/2011 09:55

A caminhada do senador Pedro Taques, do PDT, rumo ao Governo do Estado em 2014, poderá ser um pouco mais complicada do que ele imagina. Pelo menos é o que deixa claro alguns líderes do Partido Popular Socialista, o PPS, um dos aliados preferenciais e de primeira hora dos trabalhistas. No encontro do PDT em Rondonópolis, realizado no Canadá Country Club, na noite de sexta-feira, por exemplo, o vereador Reginaldo dos Santos, disparou contra alguns líderes do Movimento Mato Grosso Muito Mais e garantiu que a sigla não será usada como escada.

De acordo com o vereador, o PPS abriu mão de lançar candidato a senador e a governador, para apoiar os projeto de Pedro Taques e Mauro Mendes, e que seu partido não vai ser usado novamente como “escada”. Ele foi taxativo nas queixas: “Os outros vem aqui recebem votos e vão embora, mas, apesar disso o Percival vai ser candidato a prefeito em 2012, pois ele foi o melhor prefeito da cidade” – propagandeou nas críticas.

Reginaldo também atacou o  ex-governador, ex-prefeito e pré-candidato a prefeito do município, Rogerio Salles (PSDB), que compunha a mesa de autoridades.

Ainda no seu discurso, Reginaldo, atacou a atua administração, do prefeito José Carlos do Pátio (PMDB) e classificou os partidos que compõe a gestão como omissos, “Hoje falta tudo dentro de todas as secretarias do município, olha a saúde e educação a situação e os partidos da base de sustentação do prefeito são omissos” - disparou o vereador, em clara referência ao PSDB que participava do encontro, mas, que tem membros no primeiro escalão da administração municipal, ocupando a vice-prefeitura com Marília Salles, com o secretário de Trânsito, Rodrigo Lugli, e com o procurador geral do município, o advogado, Efrain Alves.

O vereador teve o seu discurso interrompido  de forma intempestiva pelo o secretário geral do PDT.

O discurso do vereador foi rebatido logo depois pelos presidentes municipal e regional do PDT, “Hoje o nome do deputado Percival Muniz é o nome que tem maior envergadura para a disputa da Prefeitura, mas, o escolhido para disputar pelo Movimento Mato Grosso Muito Mais, é o que apresentar melhores condições, na pesquisa encomendada, podendo ser o meu nome ou até do ex-prefeito Rogério Salles, caso seu partido esteja no movimento” - pontou o presidente municipal, Carlos Vanzeli.

Já o presidente do diretório regional, o senador Pedro Taques, repetiu o discurso feito poucas horas antes em uma entrevista coletiva, onde falou que ele não iria trabalhar para eleger prefeitos, que já visavam a disputa de 2014.  “Se  o Movimento Mato Grosso Muito Mais, continuar com essa vaidade, o projeto, que começou nas eleições de 2010, não chega nas eleições de 2012 e termina ainda em 2011” – previu.

Taques disse ser muito grato ao deputado Percival Muniz, mas sustenta: “Não usei ninguem de escada e não vou aceitar que ninguem use eu de escada” – contra-atacou, no  encerramento do encontro no município.

Fonte:24HorasNews


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!