Novo ministro da Defesa toma posse hoje à tarde em cerimônia reservada

08/08/2011 16:28

Nomeação de diplomata de carreira para o cargo desagradou aos militares

O novo ministro da Defesa, Celso Amorim, tomará posse nesta segunda-feira (8) às 15h30 no Salão Nobre do Palácio do Planalto. De acordo com o ministério da Defesa, a cerimônia será reservada, ou seja, restrita a convidados e sem a presença de jornalistas. Amorim pode se pronunciar ou até mesmo dar uma coletiva à imprensa após a posse, mas nenhum dos eventos está confirmado ainda.

 

O Palácio do Planalto informou que Dilma Rousseff participará do evento, apesar de a mudança ainda não ter sido feita na agenda oficial da presidente. Como tem acontecido nas últimas substituições nos ministérios de Dilma, não haverá transmissão de cargo do ex-ministro para o novo titular da pasta.

A escolha de Celso Amorim, um diplomata de carreira, para o comando da Defesa, desagradou aos militares que veem no chanceler "a pior surpresa" dos últimos tempos, só comparável à escolha de José Viegas Filho, também diplomata, no início do governo Lula, para o mesmo cargo.

Ele foi nomeado ministro da Defesa na última sexta-feira (5), um dia após o pedido de demissão de Nelson Jobim, que se afastou depois de ter feito críticas públicas às ministras Ideli Salvatti (Relações Institucionais) e Gleisi Hoffmann (Casa Civil).

Amorim enfrenta resistências porque, durante sua atuação no Itamaraty, tomou posições contrárias às dos militares. O ex-chanceler, por exemplo, priorizou a relação com Fidel Castro, de Cuba, e Hugo Chávez, da Venezuela, além de se aproximar de Mahmmoud Ahmadinejad, do Irã, regime conhecido por seu autoritarismo.


Crise não abala Dilma

Celso Amorim se reuniu no sábado (6) pela primeira vez com a presidente Dilma Rousseff e com os comandantes das Forças Armadas. Amorim almoçou com Dilma no Palácio da Alvorada, onde chegou por volta das 12h45 e de onde saiu às 15h20. Segundo a assessoria do ministério, durante a longa conversa com a presidente, o novo ministro recebeu as primeiras orientações sobre a condução da pasta.

Do Alvorada, Amorim seguiu direto para o Palácio do Planalto, onde recebeu os comandantes do Exército, general Enzo Peri; da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito; da Marinha, almirante Júlio Soares de Moura Neto e o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, general José Carlos de Nardi. O encontro durou 1h45.

De acordo com a assessoria da pasta, o novo ministro apresentou aos militares os motivos que o levaram a aceitar o convite para assumir o cargo. Ele disse estar com bastante disposição, prometeu se empenhar para executar as diretrizes da Estratégia Nacional de Defesa, aprovada em 2008, e disse que não vai “reinventar a roda”.

Além de se apresentar ao novo ministro, os comandantes militares destacaram as prioridades de cada pasta. Ainda de acordo com a assessoria, Amorim ficou bastante satisfeito e considerou a conversa positiva. Nos próximos dias, ele deve se reunir com cada comandante individualmente a fim de conhecer mais a fundo as necessidades.

Polêmicas

Os militares criticam o fato de ele ser um homem de esquerda e temem pela condução que o novo ministro dará a temas estratégicos, como o programa nuclear, o reaparelhamento das forças e a instalação da Comissão da Verdade, que abordará violações de direitos humanos durante o regime militar.

Fonte:R7

 

Comentar

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!