PF investiga sabotagem em um helicóptero do Ibama em MT

03/10/2012 08:25

 

Aeronave era utilizada na Operação Soberania, que investiga desmates ilegais em MT e no PA

 

 

Divulgação/Ibama

Clique para ampliar 

Um dos fios responsáveis pela potência das hélices (detalhe) foi cortado: suspeita de sabotagem

Escrito:Por LISLAINE DOS ANJOS
Fonte:Midia News

O Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis) acionou a Polícia Federal para investigar uma suspeita de tentativa de sabotagem no helicóptero utilizado pelos fiscais do órgão, durante a Operação Soberania, deflagrada no mês de setembro. 

A operação visa a coibir os desmatamentos ilegais nos estados de Mato Grosso e Pará. O assunto foi tema de reportagem no Jornal Nacional desta segunda (1º).


 


O helicóptero era utilizado diariamente pelo órgão para fiscalizar as áreas desmatadas na região Norte de Mato Grosso, onde os trabalhos foram reforçados no Estado para conter os crimes ambientais. 

A aeronave estava no aeroporto de Sinop (500 km ao Norte de Cuiabá) e estava prestes a decolar, na semana passada, quando os pilotos notaram que o computador de bordo havia identificado uma pane. 
 

Reprodução/TVCA

Cabo cortado em motor de helicóptero utilizado por fiscais do Ibama

O mecânico analisou o motor e descobriu que um dos fios responsáveis pela potência das hélices do helicóptero foi cortado.

A PF vai analisar as imagens das câmeras de segurança na tentativa de identificar algum suspeito e vai investigar dois crimes - atentado contra a segurança do transporte aéreo e tentativa de homicídio –, uma vez que um acidente envolvendo a aeronave poderia matar todos os tripulantes.

Segundo o Ibama, desde o início da operação, os fiscais têm enfrentado dificuldades para combater o desmatamento ilegal no Estado.

Durante uma travessia de balsa realizada no rio São Benedito, no último dia 20, por exemplo, um cabo de aço arrebentou e quase atingiu um analista ambiental. 

Uma caminhonete do órgão foi arremessada para o rio e, por sorte, nenhum fiscal ficou ferido.

Pousada irregular

Os fiscais do Ibama registraram, por exemplo, atos ilícitos na Reserva Indígena Kayabi, onde uma pousada funcionava de maneira irregular. Em um ano de atuação, foram desmatados aproximadamente 15 hectares de floresta junto ao rio Cururu.

A administração do local recebeu sete autos de infração e foi multada em mais de R$ 1,2 milhões pelo Ibama, além de ter o empreendimento desativado. 

De acordo com os fiscais do órgão, o proprietário pagava uma gratificação para os índios, em média R$ 4 mil por mês, para garantir o funcionamento da pousada dentro da terra indígena.



Reprodução/TVCA

Ibama combate o desmate ilegal de terras em Mato Grosso e no Pará

Multas

Apenas durante no mês de setembro, o Ibama, por meio da Operação Soberania, aplicou mais de R$ 15 milhões em multas, além de lavrar 25 autos de infração e embargar mais de 4,5 mil hectares de áreas desmatadas ilegalmente 

Também foi feita a apreensão de motosserras, tratores e outros instrumentos. Os agentes destruíram algumas benfeitorias que forneciam suporte exclusivamente para viabilizar os ilícitos ambientais.

A ação contou com a participação de 15 agentes ambientais federais do Ibama, de diversos estados e focou a identificação e autuação dos infratores responsáveis pelos desmates na Terra Indígena Kayabi.

Foram localizadas extensas áreas de devastação, situadas no interior da reserva indígena, até mesmo com desmatamento a corte raso e queimadas florestais.

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!