PM apreende carretas de contrabando

14/12/2011 07:26

Duas carretas com cerca de 70 toneladas de CDs, DVDs, roupas, bebidas alcoólicas e até mesmo espingardas de pressão foram apreendidas

© GERALDO TAVARES/DC
Carretas recheadas: as 70 toneladas de produtos apreendidos abasteceriam bancas de camelô de Cuiabá

A Polícia Militar apreendeu duas carretas recheadas de produtos supostamente contrabandeados na tarde de ontem. Uma ligação anônima denunciou que a casa número 69 da Rua Ester Marques, no bairro Cidade Alta, em Cuiabá, poderia estar sendo usada como ponto de entrega de mercadorias para os camelódromos de Cuiabá.

O serviço de inteligência da PM se deslocou até o local e, após verificar a ação, fez a abordagem de dois veículos tipo pick-up, que deixavam a casa. Ali encontraram com um homem e uma mulher, e com eles dezenas de caixas contendo CDs e DVDs virgens sem nota fiscal.

Os policiais os levaram até a casa, que estava sendo vigiada, e lá encontrou duas carretas com cerca de 70 toneladas de CDs, DVDs, roupas, bebidas alcoólicas e até mesmo espingardas de pressão – que não é considerada arma de fogo, mas sua comercialização é proibida.

Na residência ainda foi encontrado um laboratório de falsificação de CDs e DVDs. Quatro computadores, duas impressoras e diversas capas para os produtos foram encontrados, equipamentos que permitiriam fazer aproximadamente 500 falsificações por dia.

Um policial explicou que o ato de produzir e vender produtos oriundos de contrabando é considerado uma contravenção. “As mercadorias serão enviadas para a Polícia Federal e os suspeitos responderão a processo penal”, disse.

No local havia uma pequena casa, mas o terreno era bem grande e comportou as duas carretas carregadas. Cinco suspeitos foram detidos, mas na residência ainda permaneceu uma mulher que se apresentou como dona da casa. Sem querer se identificar, ela explicou que o marido sustentava a casa produzindo e vendendo filmes e CDs piratas, mas não revelou como as carretas usavam sua moradia para distribuir mercadorias a outros vendedores.

A mulher estava com um bebê de colo, que segundo ela é sua filha. Outras duas mulheres estavam no local. Uma se apresentou como advogada dos suspeitos, mas não quis dar mais detalhes de como ela pretende proceder para livrar os suspeitos do processo, já que todos foram detidos em flagrante.


Por: ANA ADÉLIA JÁCOMO
Fonte: DO DC


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!