Presidente Dilma quer descobrir se queda de Pagot do Dnit beneficiou Carlos Cachoeira

22/04/2012 09:16

 

Autor:Lucas Bólico - Fonte:Olhar Direto

Foto: Revista Época

Presidente Dilma quer descobrir se queda de Pagot do Dnit beneficiou Carlos Cachoeira


A presidente Dilma Rousseff (PT) convocou uma reunião extraordinária de emergência com os ministros da Justiça e dos Transportes, respectivamente, José Eduardo Cardozo e Paulo Passos para tentar descobrir se a chamada ‘faxina’ realizada nos Transportes, que culminou também na demissão de Luiz Antônio Pagot do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), beneficiou de alguma forma Carlinhos Cachoeira.

Gravações feitas pela Polícia Federal revelam que o grupo liderado pelo contraventor e líder de um esquema de jogos ilícitos em Goiás, Carlos Cachoeira, comemorou o ‘desmanche’ da cúpula do Ministério dos Transportes no ano passado, principalmente a demissão de Pagot. 

A queda da cúpula do ministério fez também com que os contratos selados com empreiteiras concorrentes da Delta fossem cancelados. De acordo com coluna da revista Época, a presidente quer entender se a limpeza feita no último ano beneficiou de alguma forma o contraventor goiano, que tem ligação com ex-diretor da Delta, Cláudio Abreu. 

Logo quando tomou conhecimento da comemoração com sua ‘queda’ na última semana, Pagot disse em entrevista exclusiva ao Olhar Direto que lamenta a conversa entre Cachoeira e Abreu e disse que o conteúdo terá de ser investigado. O ex-diretor também questiona as dimensões da influência de Cachoeira e Abreu na revista Veja, publicação responsável pelas denúncias que culminaram na sua saída do Dnit.

"Estou estarrecido com toda essa história. E me pergunto: como vazaram as declarações da presidente [Dilma Rousseff] para a imprensa menos de 24 horas antes de uma reunião no Palácio do Planalto. Qual interesse político motivou esse vazamento?", questionou Pagot.

Durante a entrevista ao Olhar Direto, o ex-diretor do Dnit reiterou que nunca participou de esquema algum de arrecadação ilícita de recursos para partidos, no caso o PR, e que está respondendo todas as acusações nos órgãos de fiscalização e nos respectivos inquéritos abertos pela Polícia Federal.

“Vou mostrar que sou inocente em cada inquérito aberto”, prometeu. De acordo com a denúncia da Veja à época, representantes do PR, partido que comanda os Transportes, funcionários do ministério e de órgãos vinculados à pasta teriam montado um esquema de superfaturamento de obras e recebimento de propina por empreiteiras.

Coluna da Época

A informação da reunião da presidente com os ministros foi publicada na coluna do jornalista Felipe Patury, articulista da revista Época. No entanto, apesar de ter saído na versão online, a informação não foi publicada na versão impressa da publicação.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!