Proprietário de obra é denunciado por maus tratos e ameaça despedir todos os trabalhadores

23/09/2012 10:31

 

Os pedreiros vieram de Vila Bela da Santíssima Trindade e passam por dificuldade na capital

Fonte:HiperNoticias

 

Marcos Lopes/HiperNotícias

“Nós só temos arroz, feijão, farinha e macarrão. Tem mais de uma semana que não sabemos o que é comer carne”. Essas palavras são de um trabalhador que veio de Vila Bela da Santíssima Trindade com a proposta de emprego na capital e, por enquanto, só passou necessidade.

O Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil chamou a imprensa até o local da construção da creche, no bairro Jardim Paiaguás II, para mostrar a situação de moradia no local. 

Banheiro sem condições de uso, quartos sendo divididos por quatro operários em menos de quatro metros quadrados. Na dispensa foi encontrado apenas meio pacote de arroz e dois de farinha. Na geladeira, duas garrafas de água e uma panela com feijão cozido. “O sindicato deu prazo até quarta-feira da próxima semana para que a situação seja resolvida. "Se permanecer como está vamos buscar nossos direitos”, disse o presidente do sindicato da categoria Joaquim Santana.

Marcos Lopes/HiperNotícias

Trabalhador veio de Vila Bela da Santíssima Trindade e desde quando chegou na obra, só comeu arroz, farinha e macarrão

Outra situação denunciada pelo Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil é que o proprietário da obra, conhecido como Gildásio Almeida, disse que se o caso fosse denunciado, ele mandaria embora todos os funcionários que vieram de Vila Bela da Santíssima Trindade. “Eu fui convidado por uma proposta boa, chego aqui não tem nada disso que eu pensei. A última vez que comi carne foi em Vila Bela, aqui só farinha e feijão. Mesmo assim o dono da obra diz que vai me mandar embora se eu denunciar e, se persistir, ele disse que usaria a força”, revelou o pedreiro Robson Silva dos Santos.

Os 12 funcionários da obra recebem apenas o almoço, mesmo assim somente até sexta-feira. “O jantar sábado, domingo e feriado é por conta nossa e o patrão quer produção. Tá difícil aqui!” - afirmou um dos mais antigos trabalhadores da construção civil, Emerson Rodrigues.

Marcos Lopes/HiperNotícias

Presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil, Joaquim Santana, disse que o proprietário da obra tem até quarta-feira para melhorar a situação dos operários

A construção da creche no bairro Jardim Paiaguás começou em 2008, mas parou. Antigamente era gerenciada pela empresa Terex. A obra Foi retomada este ano. De acordo com informações, as questões salariais estão em dia. O proprietário da obra não foi encontrado para falar sobre o assunto.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!