Quatro estados trabalham para prender assaltantes do HSBC de Cuiabá

18/06/2011 08:38

 Os estados de Tocantins, Pará e Goiás estão trocando  informações com a Polícia Civil de Mato Grosso na tentativa de prender  quadrilhas que praticaram assaltos na modalidade "sapatinho" - quando a família do gerente é feita refém – que atuam na região. Uma delas tentou assaltar no começo da semana a agência do HSBC da Avenida Rubens de Mendonça, uma das zonas mais movimentadas da cidade. O assalto em Cuiabá acabou não se consumando e uma pessoa foi presa.

“Há um empenho muito grande dos três estados, além de Mato Grosso, na identificação dessa quadrilha, porque é um crime que tem incomodado bastante os setores de inteligência e os grupos de combate ao crime organizado desses estados e o compartilhamento dessas informações estão sendo ilimitados. Estamos recebendo e repassando informações para conseguir o objetivo maior, que a prisão e trazer a segurança à sociedade”, disse o delegado Flávio Henrique Stringueta, chefe do GCCO, que preside as investigações.

Conforme o delegado da Polícia Civil de Mato Grosso, os estados vizinhos do Pará, Tocantins e Goiás tem histórico da prática de assaltos a bancos e, por isso, é natural a troca de informações entre as polícias. “Recebemos fotografias de várias pessoas relacionadas a essas regiões, que são submetidas à identificação das pessoas que tiveram contato com membros da quadrilha”, disse Stringueta.

O inquérito policial da prisão em flagrante de Gleisson de Souza Costa, 29, conhecido por “Amarelão”, tem dez dias para finalizar. Mas as investigações da tentativa de assalto continuarão em autos complementar. “O inquérito não vai acabar nesses dez dias, apenas a formalidade da prisão. Iremos conduzir a investigação autos suplementar até esgotar de maneira eficiente e conclusiva a investigação”, afirma o delegado.

De acordo com as investigações, a quadrilha é composta de pelo menos onze membros, com arregimentação de pessoas nos estados, conforme a necessidade, no que a polícia chama de “free lance”, devido à peculiaridade de cada região. “O que temos é que a quadrilha é bem maior. Sabemos que tem no mínimo onze envolvidos. Essas informações estão sendo obtidas pela Inteligência da Polícia Civil em contato com departamentos de outros estados”, finaliza Stringueta.

Uma segunda pessoa foi reconhecida, por meio de fotografia, pelas vítimas da tentativa de assalto à agência do HSBC, da Avenida Rubens de Mendonça (Avenida do CPA), esta semana.

Fonte:24HorasNews


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!