Relatório do Pro-Logística aponta falha e má conservação de rodovias

23/09/2012 10:51

 

 

Fonte:De Brasília - Vinícius Tavares

Relatório do Pro-Logística aponta falha e má conservação de rodovias

O relatório mais recente elaborado pelo Movimento Pró-Logística a respeito das condições das rodovias federais em obras no Estado de Mato Grosso revela a necessidade de adequação e revisão em diversos projetos que estão em execução e de outros que nem saíram do papel.

O documento entregue ao ministro dos Transportes Paulo Sérgio Passos aponta problemas no projeto de execução da BR 163. A grande reclamação é que o empreendimento está sendo executado apenas o projeto básico e ele necessita de adequações. 

De acordo com o presidente da Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso (Aprosoja-MT), Carlos Fávaro, apesar de a falta de pagamento por parte do governo federal ocorrida em 2011 ter sido solucionada, os problemas continuam. Ele lembra que das 60 pontes da rodovia, 49 estão prontas e 11 ainda precisam ser construídas.

"Falta adequação ao projeto básico e alguns pagamentos ficam atrasados. Os engenheiros estão tendo dificuldades com a falta de medições exatas e informações mais completas. Levamos ao ministro a necessidade de aditivos para adequação dos projetos", afirmou Fávaro.

Em relação à BR 242, os trechos que foram contratados devem ser entregues recuperados até dezembro de 2012. Mas as obras também carecem de projetos mais bem detalhados. "As obras em Posto Santiago estão dentro da normalidade. Falta concluir o trecho até Querência. A revisão dos projetos também é necessária", pontua.

A pavimentação da BR 158 ainda está na fase da elaboração do projeto e, como ocorre na BR 163, são necessários aditivos para novas adequações no trecho de 191 quilômetros que contorma reserva indígena. Causaram preocupação, segundo Carlos Fávaro, as obras do trecho paraense da BR 158. "A situação é crítica, com pontes de aço, de mão única, má conservação, buracos e asfalto precário muito propício a acidentes".

BR 174
Como apenas as obras das BRS 163, 242 e 158 estão incluídas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) apresentou um relatório a parte em relação ao estradeiro percorrido na BR 174.

De acordo com o presidente da entidade, Jorge Miranda, dos 240 KMs da rodovia, entre os municípios de Juína (MT) e Vilhena (RO), apenas 70 deles estão asfaltados. "Faltam 180 kms de asfalto e o ministro compreendeu a necessidade da conclusão da obra", destacou.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!