Saída de Pagot pode inviabilizar anel viário em Barra

19/07/2011 11:29


 

Lideranças políticas e empresariais de Barra do Garças (503 km de Cuiabá) estão preocupados que a saída de Luiz Antônio Pagot da direção do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) possa inviabilizar a construção do anel viário da cidade.

O presidente da subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Barra do Garças, Sandro Saggin, entende que o estado perde com a saída de Pagot e a região do Araguaia também. “Um exemplo seria o anel viário de Barra do Garças que é prometido há 16 anos, mas somente avançou com o pedido das licenças ambientais na gestão do Pagot no DNIT”, exemplifica.

Além do anel viário, o presidente da OAB-BG citou que o Araguaia espera a federalização e asfaltamento da MT-100 e a conclusão do asfalto da BR-158 até a divisa com o Pará e esses projetos podem perder forças com enfraquecimento de Mato Grosso junto ao Ministério dos Transportes, na avaliação de Sandro.

O advogado explica que mais de mil carretas passam dentro da cidade de Barra do Garças e por isso seria necessário à construção do anel viário e retirada do posto fiscal de Pontal do Araguaia.

Duas campanhas foram lançadas nesse sentido com adesivos em carros ‘Fora Posto Fiscal' e ‘Anel Viário Já’ reforçando o pedido para construção do contorno viário com duas pontes e um desvio de 14 km avaliado em R$ 90 milhões.

Além da saída de Pagot, o advogado lamentou a desistência do senador Blairo Maggi de assumir o Ministério dos Transportes que seria uma boa notícia para o estado. Sandro destacou que a luta pelo anel viário de Barra tem sido encampada pelo deputado Welinton Fagundes (PR) e que ganhou um reforço em 2009 com o governador Silval Barbosa assumindo um compromisso de ajudar. “Vamos torcer o projeto não seja engavetado”, finalizou. 

Fonte:Olhar Direto


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!