UFMT anula provas e fará novo exame no dia 6 de fevereiro

29/01/2012 10:23

 

Decisão obedece liminar da Justiça Federal, que condenou a postura de professores

Divulgação 

 


Processo de transferência da UFMT é anulado após plágio em questões de prova

Autor:RAFAEL COSTA
Fonte:MídiaNews

 

Após a confirmação de plágio em questões dos cadernos de provas, a UFMT (Universidade Federal de Mato Grosso) anulou o processo de transferência externa dos estudantes de Direito que iniciaram em 25 de novembro de 2011.

Também foram anulados os editais que continham o resultado da prova de conhecimentos específicos e referente à convocação para matrícula divulgados nos dias 14 e 22 de dezembro, respectivamente.

Uma nova prova será realizada no dia 6 de fevereiro, no período das 8h às 12h. Os candidatos deverão se dirigir às salas 6 e 7 do prédio da Faculdade de Direito da UFMT. A relação dos candidatos convocados e o cronograma do processo de transferência externa podem ser conferidos no site www.ufmt.br/vestibular. 

A decisão da Proeg (Pró-Reitoria de Ensino de Graduação) se deve ao cumprimento de uma liminar (decisão provisória e urgente) expedida pelo juiz da 7ª Vara Federal, Paulo Sodré, que suspendeu a transferência facultativa no final de dezembro de 2011.

O magistrado acatou argumentos de dois candidatos que ingressaram com mandado de segurança. Ambos detectaram que 32 das 50 questões do caderno de prova foram copiadas de concursos públicos de outros Estados.

Inicialmente, foi movido um recurso administrativo junto à coordenação do curso de Direito, solicitando a revisão de 11 questões plagiadas.

Após a análise, os dirigentes do processo seletivo acataram os argumentos do candidato e anularam as 11 questões. No entanto, houve transtornos na decisão administrativa. Isso porque houve mudança na classificação geral dos aprovados. 

Por conta disso, dois candidatos recorreram a Justiça para anular todas as questões plagiadas que totalizavam 32.

Ao conceder a liminar, o juiz federal Paulo Sodré observou falha grave na conduta dos professores da faculdade de Direito da UFMT, responsáveis pela formulação do caderno de provas com questões plagiadas.

"[...] é inadmissível que uma conceituada Faculdade de Direito, integrante de uma não menos respeitada Universidade, detentora em seus quadros de mestres e doutores, permite-se ao deslize de formular questões para um processo seletivo, mediante simples cópia de outras questões já realizadas por outros órgãos e instituições", diz trecho da decisão.

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!