História do Municipio

A História de Santo Antonio do Leste- MT é relativamente recente levando- se em conta que as primeiras ocupações branca da região, segundo relatos que se tem é de um  pouco mais de quatro décadas. 

O que temos conhecimento é de que por volta do  ano de 1960 já habitavam nesta região as famílias de Elias de Tal,  Justino Farias este havia  vindo da região onde hoje é conhecido por Paredão próximo de General Carneiro – MT e é  parente do atual(2009) prefeito de Barra do Garças  Sr. Vanderlei Farias, bem como  do prefeito de Novo São Joaquim – MT, Leonardo Farias(2009);  Senhor Camilo de Tal, vindo de Batuvi, município de Poxoréu - MT, esposo de Dona Brandina.  Já no ano de 1962 chega o senhor Angelino Adão Emiliano e sua esposa Gregoria Emiliana de Jesus, conhecida como dona Santa vindo da região onde hoje está a Vila Itaquerê Município de Novo São Joaquim - MT.

No ano de 1962 chega o  casal Sr.Manoel Alves de Oliveira (Sr. Baiano) e Dona Maria Sebastiana de Jesus (In memória), desta feita, oriundos do Estado da Bahia vindo da região hoje conhecida como vila Itaquere, mais precisamente morador perto do córrego conhecido na época como “Chibante” afluente do rio das mortes.

Em1962 veio o  Sr. Marculino depois de algum tempo residindo na região vendeu a propriedade para o senhor João Gabriel e dona Elça Nogueira Borges e chegaram aqui por volta do ano de 1963 vindo de  Ponte Branca- MT, depois de alguns anos João Gabriel indo embora permanece dona Elça na terra e que mais tarde contraiu matrimonio com  Sr. Flory Gomes da Silva (in memória)  estabeleceram na região. Assim que chegam, as famílias iniciam em condições precárias a exploração principalmente das atividades  pecuária com umas poucas cabeças de gados, e praticam uma agricultura rudimentar de subsistência.  

Era grande as restrições destes pioneiros, muitas dificuldades quanto a questão do deslocamento, para adquirir os gêneros alimentícios que não produziam tinha que ir muitas vezes a pé ou a cavalo até o povoado de Toriquejo distante aproximadamente 120 Km às margens do Rio das Mortes gastando dias de viagens.

Inicio da Colonização                           

Por volta do final do ano de 1976, o agrimensor Aldo Petrasini-PR, morador da cidade Campo Novo - RS vêm á região, para localizar e demarcar no então município de Barra do Garças – MT, uma área de terra, um total de 6000 hectares, para o senhor Serafim Conrado de Moura morador de Santo Augusto - RS.    

Realizado o serviço vendo que a região era muitos prospera, Aldo compra do senhor Serafim 1.250 hectáres de terra e Sergio Benicheski também adiquiriu 1000 hectares. Sendo o procurador de Loir dos Santos Fortes, aproveitando a ocasião comprou mais 750 hectares para o mesmo e 1000 hectares para o senhor Omerindo Freitas Costa. Em meados do ano de 1977, Sergio Benicheski vendeu a sua área para Romildo e Alcides Carolo.

Ainda permanecendo a família no RS, Aldo desbrava a área que adquiriu e no ano de 1980, muda com a família para a cidade de Poxoréo-MT  na época era a cidade mais próxima que oferecia condições para os filhos continuarem os estudos. Em fins de 1977, juntamente com Homero Paim localizamos partes das terras de Francisco Moretti, hoje parte onde está localizado o bairro Jardim Bem Viver na cidade de Santo Antonio do Leste-MT.

Em 1978, veio da cidade de Salgado Filho – PR, o senhor Adelar Tafarel, para fazer a mudança de Valdomiro Neckel. Valdomiro e seu irmão Arlindo Neckel, vieram para tomar posse e gerenciar a área de Francisco Moretti. Encantado também pela boa qualidade da terra Adelar compra uma área de 600 hectares da área que era do senhor Francisco Moretti em sociedade com seu irmão Amantino Tafarel e seu cunhado Arlindo Azzolini.

Adelar volta para o Paraná e depois de alguns dias muda para Mato Grosso juntamente com Amantino e Arlindo e suas famílias no dia 02 de julho de 1978. Vale registrar também o esforço comunal destas três famílias(Adelar, Amatino e Arlino), pois não possuidores de maquinários agrícola foi a foice e machado que começaram a abrir as suas  áreas contando com o apoio de suas esposas que além dos afazeres domésticos ajudavam os seus maridos na derrubada da mata virgem, o que causavam grande espanto para as outras pessoas que não era acostumada a ver esta situação.

Com a chegada destas três famílias  o desbravamento da região recebe um grande reforço, uma vez que as pessoas que já estavam por aqui, podemos citar a família Carolo, a família de Omerindo,  família de Aldo Petrazini estavam abrindo as suas áreas com a produção de arroz e milho para consumo próprio e  comercializava o excedente.  Em 29 de janeiro 1979, chegam as famílias de Pedro Cecatto, Celestino Tafarel e Domingos Azzolini. Estas primeiras famílias, descendente de italianos, todas meio aparentadas, reforça o processo de abertura e colonização da região.

Ampliam a área plantada, atingindo naquele ano cerca de 800 hectares de lavouras de arroz. Diante das inúmeras dificuldades tudo era feito em mutirão; desde as mais simples tarefas, até a colheita de lavoura, já que os problemas eram comuns, e a única alternativa era essa, pois beneficiava á todos.

Diante das inúmeras dificuldades desde  abastecimento dos principais víveres alimentícios até necessidades de interatividades, começa a surgir por iniciativa das próprias famílias um pequeno comércio.O senhor Adelar coloca um “bolicho”(buteco), Celestino um alambique e o senhor Pedro Cecatto e Domingos Azzolini construíram uma cancha de bocha e Aldo uma cerraria. A assistência médica e hospitalar era inexistente casos mais graves era levado para as cidade de Poxoréu-MT, ou Barra do Garças – MT, sendo que os partos por exemplo era feito pela a senhora Lauraci Barcelos Petrazzini e Rosa Cecatto.  

Percebendo a necessidade de ordenar o crescimento do lugar, Adelar Tafarel, resolve lotear as terras em torno do seu estabelecimento e cria a infraestrutura da futura sede, do atual município de Santo Antonio do Leste, então distrito de São Joaquim. No inicio foram apenas 48 lotes que foram todos doados com a condição de não construírem casas  pau a pique e/ou palha. Posteriormente fora feito um segundo loteamento de 300 lotes que passou a ser vendido.

O povoado passara à condição de Vila sendo Distrito de São Joaquim do Rio Manso - MT,  por sugestão de Aldo Petrazzini atribuira o nome de  Santo Antonio  em homenagem ao pai de Adelar Tafarel o qual chamava Antonio Tafarel. Como a região foi concebida originalmente pela produção agrícola e pecuária com o passar dos tempos, mais e mais pessoas chegavam aqui, passando a plantar aumentando assim o grande potencial produtiva.

A cultura agrícola que despontou  foi a de soja. A grande explosão demográfica se deu da região sul do País uma vez que o grande motivador foi as semelhanças visíveis na prática do cultivo de soja. Vale registrar aqui que, preocupados em proporcionar aos seus filhos condições para estudarem, os pioneiros convidam a Srª Inês Azzolini a ser professora de seus filhos e improvisa um barracão existente em sua propriedade para ser ali a primeira sala de aula e ela passa  a  ser a primeira professora do então Município. Porém, ao completarem as séries iniciais, as crianças começam a ter dificuldades de novo em continuarem os estudos.

Quem tinha condições de tirarem os filhos a estudarem em outras cidades, continuavam os estudos, os demais paravam na 4ª séries ou ficavam repetindo para manterem atualizados. Vendo que esta situação não poderia mais continuar, chegaram a conclusão de que precisaria de resolver esta situação. A solução encontrada foi construir uma casa em mutirão, com a doação de muita gente, para abrigar professores que pudessem vir de fora para dar continuidades nas séries seguintes. Foi então que no ano de 1992, veio para então a Vila de Santo Antonio 03(três) professores: Marilda Costa de Melo,  Jerônimo Lemes de Siqueira e Paulo Cezar Ferreira, os quais deram continuidade com o início da 5ª série.

Esta foi uma grande conquista para comunidade, mas principalmente para os alunos que a partir de então poderia dar continuidade aos seus estudos. Vale registrar também que nesta época (1992)a cidade tinha apenas três ruas com muitos lotes baldios, eram elas: A Rua que hoje é a Rua Domingos Azzolini que ia até na altura um pouco mais da Escola Municipal Domingos Azzolini, Rua Salgado Filho e Rua das Mangueiras.

Destacava o posto do Adelar onde tinha um restaurante, o Supermercado Santo Antonio, a Farmácia do Angelo, a lanchonete Pingo de Ouro com a cancha de boxa e a Igreja Católica local onde as pessoas  concentravam para celebrar as festas religiosas. Com o passar dos anos não muito tempo, através do trabalho dos moradores apoiados por políticos e pessoas envolvidas começa o movimento pela emancipação da então conhecida Vila Santo Antonio.  

Autor: Jeronimo Lemes de Siqueira

Texto elaborado baseado em pesquisa local

Atenção: Pode Reproduzir a(s) Matéria(s), ou parte dela(s), mas para não praticar o ilícito de Plágio (Lei n. 9610/98 e CP), solicitamos que mencione a Fonte: www.jnews.com.br

 

 

 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!